sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Receita de Ano Novo

Carlos Drummond de Andrade

Para você ganhar
belíssimo Ano Novo cor do arco-íris,
ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação
com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo,
remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior) novo,
espontâneo,
que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come,
se passeia,
se ama,
se compreende,
se trabalha,
você não precisa beber champanha
ou qualquer outra birita,
não precisa expedir
nem receber mensagens
(planta recebe mensagens? passa telegramas?)

Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade,
recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados,
começando pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro,
tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo,
eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.

É dentro de você
que o Ano Novo cochila
e espera desde sempre.


quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Jacaré volta pro rio


Os jacarés voltaram a povoar o rio Mossoró. Neste final de ano, pelo menos nove animais já foram capturados por moradores ribeirinhos e pelo Ibama, principalmente, no trecho entre as cidades de Mossoró e Governador Dix-sept Rosado (ou São Sebastião, como queiram).

Parece ser um bom sinal da natureza na restauração da cadeia alimentar do rio.


*Foto: Gazeta do Oeste.

Estado viabiliza Fundo de Cultura

A governadora Rosalba Ciarlin sancionou a lei que institui o Fundo Estadual de Cultura (FEC).

O Fundo é voltado para o fomento da produção artístico-cultural, através do custeio
total ou parcial de projetos culturais nas áreas das artes cênicas, plásticas, gráficas e tecnológicas; cinema, fotografia, vídeo e internet; literatura, música, dança, artesanato, folclore, tradições populares, patrimônio material e imaterial, museologia, bibliotecas, arquivos, acervos, patrimônio histórico e arquitetônico.
A fonte de recursos do Fundo de Cultura será equivalente a 0,5% da receita corrente líquida do ICMS do Estado. Os percentuais dos recursos serão divididos em 50% para os municípios da Região Metropolitana de Natal e 50% para os demais municípios.

A distribuição será feita da seguinte maneira:

- 40% para a concessão de financiamento de projetos oriundos de órgãos ou entes da administração pública estadual ou municipal;
- 15% para investimento no patrimônio arquitetônico tombado;
- 5% para investimento no Sistema Estadual de Bibliotecas;
- 5% para investimento no Sistema Estadual de Bandas;
- 5% para investimento no Sistema Estadual de Museus;
- 30% para demanda pública atendida por meio de editais.

Tai, algo de bom no reino dos potiguaras.

Os tentáculos do cajueiro

Será que o caramanchão que vão fazer no grande cajueiro de Pirangi do Norte vai ser alto o suficiente para passar ônibus e caminhão por baixo?

Ou será que vão fazer outra via para veículos pesados só para não podar o cajueiro? As alternativas até aqui existentes são complicadas, ladeiras íngremes e ruas estreitas.
O que será que será?

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Queimando grana

A Prefeitura de Natal passa longe da crise financeira. O que os jornais falam só pode ser boato. Agora mesmo vai torrar R$ 300 mil em fogos e toda a pirotecnia do ano novo. No Natal em Natal queimou mais 230 mil. O foguetório já passa do meio milhão. Quem risca o pavio é a Secretaria Municipal de Turismo.
Enquanto isso, o consultório de odontologia do Posto de Saúde de Pirangi está sem atender por falta de material.
E assim o circo vai pegando fogo.

Macaca Chita sai de cena


Morreu Chita, a lendária macaca dos filmes de Tarzan. Tinha 81 anos. Era natural da Libéria e vivia nos EUA.

A macaca inteligente e divertida protagonizou pelo menos 12 filmes nas décadas de 1930 e 1940 ao lado do herói Tarzan - interpretado pelo ator Johnny Weissmuller. Filmes que depois passaram a ser exibidos pelas redes televisões do mundo inteiro, sobrevivendo até a década 70. Quem foi menino nesse tempo deve ser lembrar.

Chita chegou a ser indicada por três vezes para a Calçada da Fama de Hollywood, ao lado de atores animais como Lassie e Rin Tin Tin, mas nunca teve a marca de suas patas imortalizadas. Foi injustiçada pelo movie business norte-americano.

Aposentada, a macaca vivia no refúgio de animais The Suncoast Primate Sanctuary de Palm Harbor, no estado da Flórida, nos Estados Unidos. A morte em 24 de dezembro, decorreu em conseqüência de problemas renais. Era a macaca mais velha do mundo, estava no Guiness Book desde de 2001.

Leia mais no: ultimosegundo.ig.com.br/cultura/cinema/morre-macaca-chita-a-famosa-companheira-de-tarzan/n1597452712410.html

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A demolição do CNJ

Paulo Linhares

Uma das mais importantes instituições republicanas de criação recente, no Brasil, é induvidosamente o Conselho Nacional de Justiça. Instituído em obediência ao que determina o art. 103-B da Constituição Federal, o CNJ foi criado em 31 de dezembro de 2004 e instalado em 14 de junho de 2005, na condição de órgão do Poder Judiciário com sede em Brasília/DF e atuação em todo o território nacional, "[...] que visa, mediante ações de planejamento, à coordenação, ao controle administrativo e ao aperfeiçoamento do serviço público na prestação da Justiça", conforme se lê no frontispício do seu portal na Internet.

O CNJ surgiu mais ou menos a partir da constatação, pela cúpula do Poder Judiciário brasileiro, de que surgiria um "órgão de controle externo" para atuar contra si, composto obviamente, também, por pessoas estranhas à magistratura nacional. E se antecipou com a criação do CNJ, como que seguindo aquele conselho de Antonio Carlos Ribeiro de Andrada, político que governou Minas Gerais na época da República Velha, cujo pensamento (reformista) sintetizava-se na frase "Façamos a revolução antes que o povo a faça".

Alguns importantes segmentos da sociedade civil, a exemplo da própria Ordem dos Advogados do Brasil, aspiravam por algo bem incisivo que o CNJ e que impusesse um efetivo "freio" ao Poder Judiciário, numa versão decerto mais radicalizada - de controle externo efetivo! - que a Teoria dos Freios e Contrapesos ("Checks and Balances"), desenvolvida pelos pais da nação norte-americana a partir da matriz de Montesquieu, no "Espírito das Leis", para quem a tripartição de poderes seria um sistema "em que um controla o outro e em que cada órgão exerce as suas competências [...]. A tripartição, portanto, é a técnica pela qual o poder é contido pelo próprio poder, um sistema de freios e contrapesos [...], uma garantia do povo contra o arbítrio e o despotismo".

O processo de consolidação do CNJ, nesses seis poucos anos de existência, passou por altos e baixos: surgiu na presidência do ministro Nelson Jobim com uma atuação forte e que fez acender luzinhas amarelas em muitos gabinetes de poderosos magistrados; na presidência da ministra Ellen Gracie foi uma versão "light" do estilo Jobim, com a elegância parcimoniosa que caracteriza essa jurista gaúcha, porém sem avanços mais significativos; na presidência do ministro Gilmar Mendes, teve o seu melhor momento, até agora, porquanto ganhou estrutura (e musculatura) enquanto instituição, ademais da atuação incisiva do ministro Gilson Dipp na condição de Corregedor Nacional de Justiça; e, finalmente, a presidência do ministro Cezar Peluso, cujo término ocorrerá em 2012, marcada pela "desaceleração" do CNJ e, neste momento, pela ameaça de literal demolição do que fora construído até agora, porquanto tem sido alvo constante das poderosas entidades representativas dos magistrados, as "três irmãs" - as associações dos Magistrados Brasileiros (AMB), dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e dos Magistrados do Trabalho (Anamatra).

As "três irmãs" fazem, atualmente, um "tour de force" contra a ministra Eliana Calmon, atual Corregedora Nacional de Justiça que depois de ter dado declarações bombásticas contra magistrados, agora deseja investigar-lhes os contracheques. Em face disso, ajuizaram recentemente, no Supremo Tribunal Federal, mais uma ação de inconstitucionalidade contra competências do Conselho Nacional de Justiça que visam à punição de juízes e desembargadores em processos administrativos disciplinares, por atos de corrupção.

Desta feita, essas entidades contestam o dispositivo do Regimento Interno do CNJ (artigo 8º, inciso V), que permite à Corregedoria-Geral da Justiça - atualmente ocupada pela ministra Eliana Calmon - "requisitar a autoridades monetárias, fiscais e outras mais, como os Correios e empresas telefônicas, informações e documentos sigilosos, visando à instauração de processos submetidos à sua apreciação". Os ministros do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski, concederam liminares em face do CNJ que, na prática, podem paralisar o seu funcionamento.

A sua demolição está em curso e isso dificilmente favorecerá o avanço das instituições do Poder Judiciário brasileiro. Um enorme retrocesso, sem dúvida alguma, que, em vista dos postulados republicanos e democráticos, nos fará bem mais pobres do que somos.

Não derrubem os muros de jasmins

Jarbas Martins

Não derrubem os muros de jasmins
que a usura, as leis, o desamor não tecem.
Paralisam-se as dunas, os ventos ruins
ao baque de uma árvore enlouquecem.

A saltitar golfinhos não entretecem
e o elefante e suas danças de marfins.
Um iceberg fende-se, emagrecem
os rios esquecidos de seus fins.

O canto das baleias já ensurdecem,
a calúnia desata os seus mastins.
Não derrubem os muros de jasmins
que a usura, as leis, o desamor não tecem.

Não derrubem os muros de jasmins.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

A ditadura é cor de Rosa

A ditadura Rosado começa a estender os tentáculos na capital. No apagar da semana passada, a governadora Rosalba Ciarlini Rosado, assinou um dispositivo que proíbe manifestações expressivas no Centro Administrativo onde está a sede do governo do estado. Foi o presente de Natal.

Camuflada sob a justificativa de proteção à área da Governadoria e adjacências, a portaria deixa claro que a instalação de barracas – normalmente usadas por grevistas para se proteger do sol – mesmo que temporariamente, não será mais tolerada. Aos poucos a Rosa vai podando a liberdade de expressão.

Estás vendo!

Leia mais: www.nominuto.com/noticias/politica/decreto-praticamente-esvazia-direito-de-protesto-no-centro-administrativo/80247/

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Noturno

Noite
Tráfego
Vontade de fumar
Inspirar ar
Encher o pulmão do que deus não duvida.

E noite sonho a insônia que transverte
Age no lume de leme
Atravessa vidros copos corpos
Veloz lucidez travessa.

Tráfego
Notívago, sigo na vaga
Constelação minha bússola quando outros instrumentos pifaram
Até se a chuva cair ponto por porto sou eu
Senão sou
Rotas que despontam
Faróis querendo návegos
Serão meus ventos repatriados?
Entre uns e outros poços
Sentado sobre tal petróleo óleo fóssil doutras eras
Eu campônio que ara os palmos de mim.

Noite
Tráfego
Ônibus que interpela transeuntes
Semáforos, neons, confusões, artifícios
Sigo por ai
O semi-árido argumentando os fatos
Fator impulsor
O tráfego.
É noite para nós que não temos mais que passos se fazendo luzes.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Arthur Moreira Lima e o piano em Natal


Nesta sexta-feira, o pianista Arthur Moreira Lima se apresenta no Anfiteatro do Campus da UFRN. Às 20 horas. No repertório, grandes nomes da música erudita e popular brasileira: Bach, Beethoven, Chopin, Liszt, Villa Lobos, Ernesto Nazareth e
Pixinguinha são alguns da lista.

Em turnê no Rio Grande desde o dia 08 de dezembro, Arthur Moreira Lima está percorrendo o país num caminhão adaptado com palco, som e luz, fazendo shows ao ar livre. O pianista é reconhecido como um dos maiores intérpretes da obra de Chopin. Ontem tocou na zona norte.

Uma grande jogada, e o governo do estado via secretaria extraordinária de cultura marca ponto apoiando a estadia do músico no Rio Grande.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

O som amigo de Geraldo Carvalho


Morando em Brasília, o músico Geraldo Carvalho volta a Natal para rever a brisa que vem do mar. E amanhã começa a temporada musical de verão, tocando e cantando a partir das 18h, na Árvore de Mirassol. Dia 23, às 21h, se apresenta no Cangalha Bar Petiscaria, em Ponta Negra, no dia 31, pega o rumo do Ceará e faz um som em Canoa Quebrada.

E o governo não quer que a banda toque

E a governadora Rosalba Ciarlini hein! Vetou o Projeto de Lei que cria o Sistema Estadual de Bandas do Rio Grande do Norte (Seban) que foi aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa.

Pelo projeto de lei, o Seban iria atuar na organização, qualificação e incentivo às 115 Bandas de Música na região de Natal e no interior do Rio Grande, principalmente agora que o Fundo Estadual de Cultura que destina um percentual exclusivo às bandas de música foi aprovado.

A governadora alega que alguns equívocos de natureza jurídica motivaram o veto, uma vez que, segundo a Consultoria do Estado, o Poder Legislativo não pode atribuir obrigações e atribuições orçamentárias ao Executivo. Porém o deputado Fernando Mineiro, autor do PL, rebate essa versão. Para ele, houve má vontade do governo, pois não há qualquer empenho de despesa por parte do Executivo do RN.

“O Projeto de Lei respeitou toda a tramitação legal prevista. O veto afirma que também existe no PL inconstitucionalidade material. Tal argumento se apresenta ainda mais estapafúrdio, pois um Projeto de Lei é materialmente inconstitucional quando o seu conteúdo, no todo ou em parte, contraria dispositivo constitucional sobre o mesmo tema”, descarregou Mineiro à imprensa poti.

Existe a desconfiança de que o veto aconteceu, porque, no frigir dos ovos, o governo gostaria de ter sido autor do projeto de lei. São as banalidades egocêntricas que acabam punindo a cultura deste velho e cansado Rio Grande. Mais uma bola fora.

Soneto do amor perfeito

Vinícius de Moraes

Maior amor nem mais estranho existe
Que o meu, que não sossega a coisa amada
E quando a sente alegre, fica triste
E se a vê descontente, dá risada.

E que só fica em paz se lhe resiste
O amado coração, e que se agrada
Mais da eterna aventura em que persiste
Que de uma vida mal aventurada.

Louco amor meu, que quando toca, fere
E quando fere vibra, mas prefere
Ferir a fenecer - e vive a esmo.

Fiel à sua lei de cada instante
Desassombrado, doido, delirante
Numa paixão de tudo e de si mesmo.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Cajueiro de verão a veraneio


Vamos podar os galhos do cajueiro de Pirangi do Norte. Que cercaram porque quiseram. Aquele cajueiro para mim vai muito mais longe que seus galhos esparramados na avenida desastrada. Quando tudo eram dunas e tabuleiros e veraneios. E deixa pra lá.

Fato é que prenderam o cajueiro já algum tempo naquele cercado. Confinaram o cajueiro na redoma. Criaram a nova estrada para o progresso. Então o tal progresso se abancou. E o cajueiro é tão somente um objeto de exploração.

A situação que agora resta é administrar. Vamos podar, vamos podar vamos podar!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

O Barça é o tal

O time do Barcelona é mais quente do que boca de caieira.

Pegou o Santos e bateu de 4 a 0. Foi o maior fuá!

Joga porque sabe.

É campeão do mundo porque merece.

Eu quero Kerouac em Natal


Campanha Eu Quero Kerouac em Natal, para trazer o espetáculo Kerouac – com o dramaturgo e ator Mario Bortolotto. Direção de Fauzi Arap. Apresentações previstas para abril de 2012.

O objetivo da campanha é adquirir as passagens aéreas antecipadas com custo mais barato para o grupo. Pois não há patrocínios. Os colaboradores terão direito a ingressos.

Você pode aderir à campanha entrando em contato pelo e-mail: sertaorock@ig.com.br



MÁRIO BORTOLOTTTO & KEROUAC

“Kerouac” é um projeto antigo da dupla Mário Bortolotto & Mauricio Arruda Mendonça. Os dois são escritores e fãs do escritor beat. A direção é de Fauzi Arap. O monólogo "Kerouac", uma homenagem ao autor do clássico beat "On the Road", o escritor norte-americano Jack Kerouac - uma de suas maiores influências.

“Kerouac” é um monólogo escrito por Mauricio Arruda Mendonça especialmente para o amigo Mário Bortolotto interpretar. Mostra o escritor Jack Kerouac, já velho e no final de sua vida. Ele está inchado de tanto beber e profundamente amargurado. Está casado com Stela Sampas, e mora na casa da mãe Gabriele, que está paralítica.

Kerouac não é nem de longe o herói beat e com sede de vida do começo de carreira. É sim, um sujeito angustiado que não soube administrar todo o sucesso que teve depois da publicação de seu clássico “On the Road”. Está detonado, batido pelo peso dos anos, pelo fracasso literário, pela solidão, pelo álcool e pelas drogas.

No começo da peça, Kerouac acaba de voltar de sua última viagem de carona, uma tentativa mal sucedida de repetir as façanhas de sua juventude. É madrugada do Dia de Natal e ele está tentando lembrar os fatos da viagem para escrever um novo livro e vender rápido para conseguir algum dinheiro.

Durante o monólogo, um cansado Jack Kerouac parece se empolgar às vezes com a história que está contando, mas logo cai em depressão. Ele alterna estados de ânimo que varia entre inocência, entusiasmo, paranóia e fúria alcoólica. A peça se passa na casa sombria onde Kerouac viveu seus últimos dias.

Na peça, Kerouac se queixa dos escritores, dos amigos, escancara seu lado francamente reacionário e religioso, sofre com a morte do amigo Neal Cassady e acima de tudo nos oferece um personagem demasiadamente humano, contraditório e por vezes, comovente.

Jack Kerouac morreu com 47, sozinho e abandonado. Totalmente ignorado em vida após o repentino sucesso de “On the Road”, hoje o escritor tem sua obra revista e cultuada por milhares de leitores que encontram em sua prosa espontânea uma das obras mais originais da literatura americana.

Para dirigir o monólogo, Mário convidou o também amigo Fauzi Arap, diretor que já é um mito do teatro paulistano, tido como especialista na direção de atores. É dele, por exemplo, a primeira direção profissional do clássico “Navalha na Carne” de Plínio Marcos.

Contemplado com o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), pelo conjunto da obra em 2000, e com o prêmio Shell de Melhor Ator por "Nossa Vida Não Vale um Chevrolet" (que depois virou filme), Bortolotto acumula pelo menos quarenta peças. Para encarnar o beat Kerouac, há uma diferença. "É o personagem mais importante para mim. Há uma exigência física muito grande. Embora sejam apenas 50 minutos, fico extenuado quando o espetáculo termina", conta.

Bortolotto tem vários livros publicados, que vão desde peças, poesias, coletâneas de textos veiculados em seu blog atirenodramaturgo (o blog e o nome são anteriores aos tiros que levou na noite paulistana), trabalha o seu primeiro romance. É vocalista da banda Saco de Ratos – blues e rock’n’roll.

Sinfônica e Coral na Catedral

A Orquestra Sinfônica do RN encerra a temporada 2011 nesta terça-feira (20) às 20 horas, com um concerto na Catedral Metropolitana (Cidade Alta). O evento terá a participação especial do Coral Canto do Povo.
No repertório, peças de Beethoven, Rossini, Mascagni e Strauss, além de composições já consagradas do repertório natalino, como “Noite Feliz” e “Nasceu o Menino Jesus”, cantadas em latim. A regência é do maestro Padre Pedro.

Mad Dogs no Inferninho

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

A maior riqueza do homem é a sua incompletude

Manoel de Barros

A maior riqueza do homem
é a sua incompletude.
Nesse ponto sou abastado.
Palavras que me aceitam como
sou - eu não aceito.
Não agüento ser apenas um
sujeito que abre
portas, que puxa válvulas,
que olha o relógio, que
compra pão às 6 horas da tarde,
que vai lá fora,
que aponta lápis,
que vê a uva etc. etc.
Perdoai
Mas eu preciso ser Outros.
Eu penso renovar o homem
usando borboletas.

Insensatez cor de rosa

No Orçamento Geral do Estado (OGE) do Rio Grande para 2012, aprovado com ampla maioria pelos nobres deputados potigares, o governo aumenta em 120% o investimento em publicidade.

Em contrapartida, vai reduzir em 7% a verba para Educação; reduz em 1,3% os recursos para a Saúde, e pasmem, cortará 22% do dinheiro destinado à Segurança Pública do Estado.

Para o governo a prioridade é a propaganda. E viva o jingle Goebbels.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Fernando e o tempo concreto na Aliança Francesa


O artista plástico Fernando Gurgel volta a expor hoje na Aliança Francesa. A exposição “Tempo Concreto, será inaugurada às 20h, e ficará em cartaz até o dia 23 de dezembro.

Nas telas em acrílico, Fernando resgata imagens da infância no Tirol e relembra a cidade de paisagens horizontais, verdes e harmoniosas, quase bucólicas. Uma cidade perdida entre os novos edifícios de concreto armado. A exposição é um exercício de observação sobre os efeitos que as mudanças de tempo e espaço exercem sobre o cotidiano humano.

Fernando Gurgel é dos grandes pintores desta velha taba. Além de excelente figura humana. O blog recomenda.

Inveja Minha

François Silvestre

Subi o monte com minha inveja.
Eu e ela, só ela e eu. Amancebo de dor e ranço,
Ódio sofrido que me consome.
Matamos todos os mais sabidos,
Os mais bonitos, os mais queridos.
Matamos os inteligentes, os sorridentes,
Os que agridem a infelicidade!
Ficamos sós, nossos iguais,
Mas mesmo assim não fui feliz.
Porque do monte, em que matava, de morte triste,
Não conseguimos matar estrelas.

Palmadas para os deputados

Esses políticos fazem cada merda.

Agora na Câmara Federal aprovaram uma tal de Lei da Palmada, que proíbe os pais de aplicarem castigos físicos em crianças e adolescentes. Aqueles básicos corretivos educativos, ou aquela velha e boa palmada que não faz mal, não causa traumas e corrige os maus modos e outras faltas de obediência e educação não pode. Com princípios como esse (quase um fomento a rebeldia), é que, olhando para o retrovisor vemos que a sociedade humana só se deteriora.

Com tanta coisa importante para legislar. Há tantas necessidades básicas nesse país. Os serviços públicos que capengam. Tanto imposto exorbitante assombrando os brasileiros. Tanta corrupção para combater. Um estado deficitário que não dá conta nem das obrigações que já tem. E os parlamentares brasileiros, por certo, por incompetência legislativa, se arvoram de um problema menor, e ainda por cima, de ordem familiar.

Ademais, a lei brasileira já pune esse tipo de agressão. Essa é mais uma matéria que, se houvesse inteligência naquela Câmara Federal, teria sido abortada no nascedouro. Mais uma prevaricação legislativa. A tal lei é uma peça esdrúxula, recheada de artigos idiotas. O texto subiu para o Senado, onde resta o fio de esperança da sensatez. Ou veta ou vot’s.

Meu pobre rico Brasil!

Valéria no ar com Joyce no retrovisor


Valéria Oliveira comemora 20 anos de carreira fazendo shows e
recebendo convidados.

Hoje no Teatro Alberto Maranhão ela se apresenta ao lado da cantora Joyce (um mimo da música brasileira), do trombonista Gilberto Cabral e a turma do Projeto Retrovisor: Simona Talma, Luis Gadelha, Krystal e Ângela Castro.

E na abertura, às 20h, o duo por Eduardo Taufic (piano) e Roberto Taufic (violão) se apresenta no foyer do teatro.

Nesses shows comemorativos Valéria se acompanha dos músicos Jubileu Filho (guitarra, violão de aço e vocal), Cacá Veloso (violão nylon e guitarra), Paulo de Oliveira (baixo) e Rogério Pitomba (bateria). Uma banda pra ninguém botar defeito. Uma rapaziada que toca.

Ingressos a 30 pratas na bilheteria do TAM.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Sobre o amor

Geraldo Carneiro

amor é coisa que se faz a dois,
segredo consagrado por um Deus
à sua escolha, a árvore ou a folha
que se despende do país dos ventos
e que acomete esses seus pensamentos
só seus, só meus, só vossos, sempre nossos.
parece papo de carola, cara?
eu sei, e tenho lá meu pedigree
católico apostólico carioca,
que fui lá nos confins da minha infância
e continuo em meu apostolado
ao lado da galera mais surtada,
que ainda crê na arte sendo vida.
pois eu, se não existisse o tal do amor,
viveria exilado de mim mesmo.

Atravessando a Alfândega


Vem ai o lançamento do livro Travessa da Alfândega. Uma coletânea de autores potiguares. Será no sábado (17), a partir das 20h, no Café Salão Nalva Melo, ilustrado com show do Catita Choro e Gafieira e o novo menu da Casa.

O livro é organizado por José Correia Torres Neto, e reúne crônicas de Sheyla de Azevedo Andrade, Franklin Jorge, Ana Cristina Tinoco, Yasmine Lemos, Alexandro Gurgel, José Acaci Rodrigues, Fábio de Silva, José Correia Torres Neto, Fábio Farias, Nalva Melo, Natália Negreiros, Pablo Capistrano, Petit das Virgens, Jania Souza, Lívio Oliveira, Manu Albuquerque, Rostand Medeiros, Cefas Carvalho, Arlindo Bezerra da Silva Junior, Alexis Peixoto, Alex Nascimento, Florentino Vereda, Adriano de Sousa, Michelle Ferret e Eliade Pimentel. Uma boa gente!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O habitat de Marize



A poeta Marize Castro lança “Habitar teu Nome”, quarta-feira (dia 14), às 19h, no Teatro Alberto Maranhão. Editora Una.

Amizade lusitana

A Prefeitura de Natal foi comprar longe as tais lâmpadas led para iluminar o período natalino na cidadela. Mandou buscar em Portugal, ora vejam!

Quiçá há falta de produto no mercado nacional. Quiçá é tão somente esse chamego lusitano que ilumina as relações municipais.

Hangar no Bardallo's


È hoje o lançamento da 10ª Edição do Prêmio Hangar de Música, no centro de Natal numa homenagem ao Dia Nacional do Forró e o aniversário de Luiz Gonzaga. O prêmio tem como tema o cantor potiguar Elino Julião, um dos grandes nomes da música nordestina.

A programação de lançamento que acontecerá no Bardallos, a partir das 20h, com a participação da cantora Gabi Portela e show da banda Forró NaManha, homenageando o Dia Nacional do Forró e o aniversário de nascimento de Luiz Gonzaga. O acesso é livre.

Além de cantar e tocar músicas do rei do baião o Forró NaManha interpretará clássicos do pé de serra e sucessos de Elino Julião. Outros músicos da cidade estarão presentes para participações com a banda.

Cerca de 30 músicos e bandas estão indicados nas onze categorias da 10ª edição do Prêmio Hangar. As Bandas Talma&Gadelaha, DaSilva e D´MalasomBROSband, DuSouto e as cantoras Khrystal e Valéria Oliveira lideram em número de indicações. O Hangar é uma iniciativa do produtor Marcelo Veni.

A produção do Prêmio Hangar de Música transferiu a noite de premiação aos destaques da música em 2011, para o dia 31 de Janeiro de 2012. A alteração foi motivada para que a produção ganhe tempo a fim de agregar outras parcerias e apoios para a parte estrutural da cerimônia que acontecerá no Palácio da Cultura com dois palcos e a participação de quase 100 músicos do RN e da banda Água de Quartinha de Fortaleza.

Serviço:

Lançamento do 10º Prêmio Hangar de Música
(Homenageando Luiz Gonzaga e o Dia Nacional do Forró )
Terça 13 de dezembro
Bardallos Comida e Arte – Cidade Alta
Com show do Forró NaManha e participação da cantora Gabi Portela
20h - Entrada Franca
Informações: 9175 -9870 / 3211 - 8589

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Sociedade alternativa



Raul Seixas Banda Clube
Sábado, 21h, no Zen Bar & Café, na Rota do Sol. Cotovelo/Pium.

A banda, comandada pelo músico Esso Alencar, faz uma releitura das canções de Raul Seixas, o maluco beleza que virou mito do rock do brasileiro. E viva a sociedade alternativa!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Surrupiagem

Regressão cultural
Por Gustavo Wanderley - no facebook

Se já não bastasse a proposta de redução em mais de 75% dos recursos do Fundo Municipal de Cultura e corte de R$ 1,9 milhão do orçamento da Capitania da Artes para o orçamento de 2012 apresentada à Câmara de Vereadores pela Prefeitura ser em si mesma um escândalo, há uma adequação e incremento nos Eventos do Natal em Natal para o ano que vem que em seu total chega a ordem R$ 5 milhões, ou seja, toda a verba que deveria ser destinada ao fomento, à formação e ao acesso culturais será remanejada a um evento com características estéticas duvidosas, cheio de vícios administrativos e com finalidade mais turística do que propriamente cultural!

Mobilizar todos a comparecer no dia 12, na Câmara dos Vereadores, na audiência pública do LOA, para dizer não a essa barbárie. Essa proposta não só fere a classe artística e cultural, mas cerceia direitos dos cidadãos como um todo.

Nota do blog: Apoiado.

Hard Harper


O músico Ben Harper faz turnê no Brasil e está curtindo São Paulo, onde faz show amanhã (sexta-feira) no Via Funchal.
Ben Harper chegou antes na cidade, e seu programa predileto tem sido andar de skate na Avenida Paulista nas noites e madrugadas, acompanhado de perto pelos seguranças. É o que diz a crônica da paulicéia.

Asneira

Mesmo com a manifestação contrária do Ministério Público. Mesmo com o tombamento aprovado pela Câmara Municipal Natal. Mesmo com a posição contrária de moradores adjacentes e da opinião pública, a governadora Rosalba Ciarlini insiste em vender e demolir o antigo Estádio Juvenal Lamartine por 30 dinheiros. Desconfio dos reais interesses do governo.

A governadora Rosalba Ciarlini (DEM) também quer fazer um novo estádio de futebol na zona norte. Deve ser para concorrer com a concessionária da Arena das Dunas. Pois vai prejudicar o faturamento da empresa que explora a arena.

Ademais, se Natal vai ter a Arena das Dunas para substituir o Machadão para que construir outro estádio de futebol público, que, se tivesse as obras iniciadas agora demoraria o mesmo prazo da arena ou até mais para a conclusão? A precisão maior são para jogos de 2012/13, e disso, como o governo deixou de lado, os clubes estão cuidando.

Essa de derrubar o velho estádio Juvenal Lamartine é uma roubada da Rosa. A justificativa é uma piada. Não faz sentido nenhum. Todo cuidado é pouco.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Véu em Solo no Palácio Potengi


Coletivo Solares apresenta a exposição fotográfica: Véu em Solo - Sertão Central. O ensaio mostra o universo masculino e feminino da mulher sertaneja dentro de um contexto surreal, permeado de sonhos e psicodelia. Até o dia 12, na Pinacoteca do Palácio Potengi, Cidade Alta, Natal. Vale a pena dar uma espiada.

Elegia: Indo para o leito

John Donne

Vem, Dama, vem, que eu desafio a paz;
Até que eu lute, em luta o corpo jaz.
Como o inimigo diante do inimigo,
Canso-me de esperar se nunca brigo.
Solta esse cinto sideral que vela,
Céu cintilante, uma área ainda mais bela.
Desata esse corpete constelado,
Feito para deter o olhar ousado.
Entrega-te ao torpor que se derrama
De ti a mim, dizendo: hora da cama.
Tira o espartilho, quero descoberto
O que ele guarda, quieto, tão de perto.
O corpo que de tuas saias sai
É um campo em flor quando a sombra se esvai.
Arranca essa grinalda armada e deixa
Que cresça o diadema da madeixa.
Tira os sapatos e entra sem receio
Nesse templo de amor que é o nosso leito.
Os anjos mostram-se num branco véu
Aos homens. Tu, meu anjo, és como o céu
De Maomé. E se no branco têm contigo
Semelhança os espíritos, distingo:
O que o meu anjo branco põe não é
O cabelo mas sim a carne em pé.

Deixa que a minha mão errante adentre
Atrás, na frente, em cima, em baixo, entre.
Minha América! Minha terra à vista,
Reino de paz, se um homem só a conquista,
Minha mina preciosa, meu Império,
Feliz de quem penetre o teu mistério!
Liberto-me ficando teu escravo;
Onde cai minha mão, meu selo gravo.
Nudez total! Todo o prazer provém
De um corpo (como a alma sem corpo) sem
Vestes. As jóias que a mulher ostenta
São como as bolas de ouro de Atalanta:
O olho do tolo que uma gema inflama
Ilude-se com ela e perde a dama.
Como encadernação vistosa, feita
Para iletrados, a mulher se enfeita;
Mas ela é um livro místico e somente
A alguns (a que tal graça se consente)
É dado lê-la. Eu sou um que sabe;
Como se diante da parteira, abre-te:
atira, sim, o linho branco fora,
Nem penitência nem decência agora.
Para ensinar-te eu me desnudo antes:
A coberta de um homem te é bastante.


*Tradução: Augusto de Campos

Arthur Moreira Lima no Rio Grande


O maestro Arthur Moreira Lima, pianista consagrado internacionalmente inicia amanhã (08) neste Rio Grande, o concerto Um piano pela Estrada. As apresentações serão feitas em diversas cidades do interior, começando por Pau dos Ferros, em praça pública. A temporada se estende até o dia 23 de dezembro. Desta vez, Natal também foi contemplada.

O projeto já realizado em mais de 300 cidades leva a música clássica de boa qualidade para a população em geral. Nesta etapa, o pianista pretende fazer mais 60 concertos nos estados do Centro Oeste, Nordeste e Norte. Em Natal, a apresentação do pianista terá a participação da Orquestra Sinfônica do RN.

O repertório das apresentações passa por grandes nomes da música erudita e também popular como Bach, Beethoven, Chopin, Liszt, Villa Lobos, Ernesto Nazareth, Pixinguinha, dentre outros. Arthur sempre gosta de dar uma ênfase especial aos compositores brasileiros já esquecidos pela população em geral.

Arthur Moreira Lima é considerado uma dos maiores intérpretes da obra de Chopin. As apresentações são feitas em cima um caminhão adaptado especialmente, com palco, som e luz, ao ar livre.

Roteiro da turnê:
Data: 8/12 - Pau dos Ferros - Hora: 19h30
Data: 9/12 - Alexandria - Hora: 19h30
Data: 10/12 - Apodi Hora: 19h30
Data: 12/12 - Mossoró Hora: 18h30
Data: 13/12 - Açu - Hora: 19h30
Data: 14/12 - Macau, - Hora: 19h30
Data: 17/12 - Caicó - Hora: 19h30
Data: 18/12 - Currais Novos - Hora: 20h30
Data: 21 e 23/12 - Natal - Hora: 19h30
Data: 22/12 Local: Parnamirim - Hora: 19h30

A iniciativa tem o patrocínio do Governo do Estado, através da Secretaria Extraordinária de Cultura e Fundação José Augusto, Caixa Econômica e Petrobras.

Papos e livros e jornalistas

O Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFRN e a Summus Editorial estão convidando para um bate-papo com Fábio Pereira, jornalista e doutor em Comunicação pela Universidade de Brasília (UNB), na próxima sexta-feira (09), das 10 às 12 horas no Auditório C do CCHLA. E na ocasião, o jornalista também vai lançar o livro Jornalistas-intelectuais no Brasil.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

C’est fini

E a prefeitura acabou com o Auto de Natal.
Sem comentários.

Só o filé!


A revista norte-americana “Ad Week” publicou uma matéria em que informa quais itens foram os mais roubados das lojas do país em 2011. A matéria aponta que os roubos tiveram um aumento de 6% nos Estados Unidos, e o objeto mais surrupiado das prateleiras é o filé mignon. Os ladrões costumam esconder os pedaços de carne debaixo da jaqueta e dos casacos. Espertos, esses gringos...

Leia mais no www.pop.com.br

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Já não era sem tempo

E o fanfarrão loroteiro Carlos Lupi finalmente pediu o boné do Ministério do Trabalho neste último final de semana. Mesmo sendo poupado pela presidente Dilma Roussef, que até ignorou o parecer da comissão de ética da república, o cabra não agüentou o tiroteio da imprensa apontando as irregularidades sucessivas do ministério.

Mas o bicho mostrou que é duro na queda.

Três

Adélia Danielli

Doce carne
amaciada
por chuvas
e sóis
Trinta de
tantos anos
E entre vinhos
e sedes
vives.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Me Gustán las Muchachas Putanas

Mário Bortolotto

Dessas que chupam as bolas,
que entram de sola.
Das que não têm meio termo,
que abrem as pernas
e não pedem arrego.
Dessas depiladas, peladas, liberadas,
eu as quero desarmadas,
eu as quero de boca esporrada,
eu as quero do jeito que for,
eu as quero tocando bongô,
com a boca no microfone,
chamando meu nome,
no meio da chuva.
Dessas que passam gel no cabelo,
que a gente flagra no banco traseiro do carro.
Dessas que dizem os diabos,
que agarram o seu pescoço,
que sempre tem um troco.
Dessas com aros em forma de brinco,
que sabem segurar um pinto,
essas entendem o que eu sinto,
essas sabem que eu não brinco.
Elas se entopem de vodca,
assistindo MTV,
essas nunca vão chorar por você,
elas não vão mentir pra você,
elas não têm porquê.
Elas não vão contar história,
elas não vão dizer que você foi a melhor foda,
não vão querer o seu sangue, ó o seu dinheiro,
não vão querer flores nem caixa de bombons,
não te arrastam pra igreja,
elas só se enxarcam de cerveja.
E se eu digo 'pra mim chega',
elas guardam o batom e vão embora.
Elas nunca estão de calcinha quando descem as escadas,
elas estão sempre dançando, mordendo,
chegando de táxi a uma da manhã,
elas não são puras, elas são putas.
Elas não querem o céu,
elas não sabem quem é Nina Simone,
elas não querem meu número de telefone.
Paixão elas tiram de letra,
elas encaram qualquer treta,
com uma bela chave de buceta.
Eu adoro essas putas loucas,
caindo de boca,
que nunca ouviram um blues,
elas fazem chupeta
e dão o cu.
Eu as quero sujas,
num beco escuro, atrás do muro,
meu pau duro abrindo caminho,
desprezando carinho,
fissura de vinho na segunda-feira,
gozando de primeira,
comendo pastel na feira.
Eu as quero maquiadas,
peladas, desbocadas,
a mi me gusta.
Que se fodam as puras,
que gozem as putas.

Vox lex

Indícios não são provas.
Acusados não são criminosos.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Tem som na mata

CaosNatal

O CaosNatal - êpa carnatal - começa hoje.
Mas a bagunça no trânsito está instalada desde a quarta-feira.
A festa é privada, mas o governo vai gastar mais de 1 milhão somente com horas-extras e diárias da Polícia Militar.
Pobre rico Rio Grande.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Macalé canta sexta na Cidade Alta


Lembrando que show Revendo Amigos, com o cantor e compositor carioca Jards Macalé será nesta sexta-feira (2) no Bar do Zé Reieira, que fica na Rua Professor Zuza, Cidade Alta.

A programação celebra o Dia do Samba e começa por volta das 20h. Terá a participação do grupo de samba Nós do Beco; também do guitarrista e arranjador Joca Costa e a cantora Heliana Pinheiro.

O Jards Macalé estará lançando seu novo disco “Jards”, lançado pelo selo Biscoito Fino. Aliás Jard´s é mesmo o fino da música brasileira. Um violonista de grandeza maior.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

O Indiferente

John Donne

Posso amar tanto louras como morenas,
A que cede à abundância e a que trai por pobreza,
A que busca a solidão e a que se mascara e brinca,
Aquela que o campo cultivou e a da cidade,
A que acredita, e a que hesita,
A que ainda lacrimeja com olhos esponjosos,
E a rolha seca que nunca chora.
Eu posso amar essa e esta, e tu, e tu,
Posso amar qualquer uma, desde que não seja leal.

Nenhum outro vício vos satisfará?
Não vos será útil fazer como as vossas mães?
Ou, gastos todos os velhos vícios, inventaram novos?
Ou atormenta-vos o medo de que os homens sejam fiéis?
Oh, não o somos, não o sejais vós também,
Deixai-me conhecer, eu e vós, mais de vinte.
Roubem-me, mas não me prendam, deixai-me ir.
Devo eu, que vim a estas dores através de vós
Tornar-me vosso fiel súbdito, porque sois leais?

Vénus ouviu-me suspirar esta canção,
E pela maior doçura do amor, a variedade, jurou
Que a não ouvira até então, e não mais seria assim.
E foi-se, investigou, e depressa regressando
Disse: «Enfim, existem umas duas ou três
Pobres heréticas do amor
Que pretendem instaurar a perigosa constância.
Mas eu disse-lhes: Dado que pretendeis ser leais,
Sereis leais para com aqueles que vos sejam falsos.»


* Tradução de Helena Barbas

Do Hangar para decolar

A 10ª edição do Prêmio Hangar de Música está nas ruas. A premiação será no dia 13 de dezembro no Palácio Potengi. Este ano o prêmio homenageia os artistas Luiz Gonzaga e Elino Julião. O Hangar é uma cria do produtor cultural Marcelo Veni.

Veja quem concorre às premiações:
Indicados 2011
Revelação Musical do RN

1- Maguinho daSilva e D´malassomBROSband
2- Juão Nin (AK47 / Andróide Sem Par)
3- Linha de Passe
4- Los Costeletas Flamejantes
5- Talma&Gadelha
Melhor Banda ou Grupo
1- Camarones Orquestra Guitarrística
2- DuSouto
3- Eu, Edu e os Caras
4- PeduBreu
5- RastaFeeling
Melhor Intérprete
1- Clara Pinheiro (Clara e a Noite)
2- Khrystal
3- Liz Rosa
4- Simona Talma (Talma&Gadelha )
5- Valéria Oliveira
Melhor Música
1- Avenida da Canção (Maguinho da Silva / daSilva e d malassomBROSband)
2- Cretino (DuSouto)
3- O Roqueiro e a Hippie (Talma&Gadelha)
4- Tango no Hospício Encantado (Franklin Nogvaes / Antônio Ronaldo)
5- Zona Norte/Zona Sul (Khrystal / Ricardo Baia)
Melhor Instrumentista
1- Antonio de Pádua
2- Eduardo Taufic
3- Edu Gomez
4- Fábio Rocha (Fabão)
5- Gustavo Cocentino
Melhor Produtor Musical
1- Anderson Foca
2- Franklin Nogvaes
3- Jubileu Filho
4- Raphael BJoe
5- Zé Marcos
Melhor Letrista / Compositor
1- Bruno Alexandre
2- Ivando Monte
3- Maguinho Da Silva
4- Luiz Gadelha
5- Simona Talma
Melhor CD de artista Potiguar
1- +QImperfeiro (Romildo Soares)
2- E o Pior q´isso tudo Não é Ficção (daSilva e d malassomBROSband)
3- Matando o Amor (Talma&Gadelha)
4- Nosso Disco Dava um Filme (Projeto Trinca)
5- Samba no Beco (Arquivo Vivo)
Melhor Show realizado
1- Clássicos da MPB (Camila Masiso e Orquestra Sinfônica da UFRN)
2- Do Mar ao Sertão (Carlos Zens)
3- E o Pior q´isso tudo Não é Ficcção (daSilva e d malassomBROSband)
4- O Trem (Khrystal)
5- 20 anos de carreira – No Ar (Valéria Oliveira)
Artista do Ano
1- Camila Masiso
2- Maguinho Da Silva
3- Khrystal
4- Talma&Gadelha
5- Valéria Oliveira
Melhor Vídeo Clipe
1- Com a Água no Pescoço – Camarones Orquestra Guitarrística
2- Cretino – DuSouto
3- Estirado no Estirâncio – Os Poetas Elétricos
4- O Roqueiro e a Hippie – Talma&Gadelha
5- Zona Norte / Zona Sul – Khrystal

Era uma vez a cultura...

E a Casa de Cultura de Macau abandonada pelo Estado se transformou em ponto de tráfico e prostituição. A governadora Rosalba Ciarlini e a FJA esqueceram do lugar. Outras casas seguem o mesmo destino no interior Rio Grande. Uma pena.

Escreveu não leu

Dizem lá pelo camelódromo que tem juiz que escreve uma coisa e pratica outra. Vixe...

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Música para elefantes cegos

Na Tailândia, um britânico levou um piano e tocou Beethoven para elefantes cegos. Paul Barton, 50 anos, decidiu encarar o desafio de ajudar a levantar fundos para os elefantes cegos que vivem em uma reserva nas montanhas de Kanchanaburi.

Veja o vídeo: www.pop.com.br/popnews/noticias/poptrash/615789-Homem-toca-piano-para-elefantes-cegos-em-montanha-tailandesa.html

Paulo Ró e a música paraibana em Natal


O músico paraibano Paulo Ró está lançando seu novo CD, intitulado “Cantus Popularis”. O show de lançamento será na quarta-feira - 30 de novembro - às 19h, no Auditório do IFRN- Campus Cidade Alta.

Paulo Ró é músico e compositor com uma longa história na música paraibana,onde atua desde os anos 70, quando iniciou suas pesquisas e produções musicais. Em 1974, experimentava sons diferentes nos violões, nas percussões, com ritmos impares, criando instrumentos para novas sonoridades. A partir daí, criou junto com Pedro Osmar o grupo de resistência cultural paraibano, “Jaguaribe Carne de Estudos”, com a finalidade de vivenciar a música livre, aprofundar pesquisas musicais, produzir situações de arte-educação, dialogar com outros artistas, outras expressões artísticas e incentivar manifestações culturais na cidade de João Pessoa.

Em “Cantus Popularis” Paulo Ró expressa uma profunda pesquisa nas raízes populares da cultura nordestina, trazendo cocos de roda, cirandas, a mazurca, os congos e lapinhas. A partir de um olhar próprio, Paulo recria o vasto universo da cultura popular, modificando, reelaborando, fragmentando, adicionando, misturando e distorcendo suas mais fortes referências, como as Cambindas Brilhantes de Lucena, entre outros grupos e mestres populares. A pesquisa-vivência de Paulo Ró lhe confere certa intimidade com o universo popular, dando-lhe tanto abertura para recriar e registrar suas impressões, quanto a responsabilidade de fortalecer e difundir as autênticas raízes da cultura musical brasileira.

O trabalho mostra de forma contemporânea e original a nobre e singela poesia, o colorido descritivo e cativante da música que o povo simples brinca, demonstrando o prazer, a versatilidade e a riqueza composicional, revitalizando a música tradicional em todas as suas instâncias, trazendo para o convívio do público de hoje a música que é passada de pai para filho, num processo histórico de resistência cultural.

Leite derramado

A crise no setor leiteiro no estado vem sendo anunciado desde o ano passado, quando começou o desmantelo. Preços defasados e atrasos no pagamento. A governadora Rosalba assumiu e continuou mantendo o ritmo, não paga o atrasado deixado pelo governo Iberê, e atrasa dois meses o pagamento deste ano. Coisa de 11 milhões de réis. E assim foi decretado o massacre ao produtor rural, que tem custos de produção para manter o plantel em lactação e que ficou sem capital de giro, nem crédito com os fornecedores. O resultado é essa quebradeira grande de campo adentro.

Em tempo: O Programa do Leite é um programa social do estado que funciona há uns 15 anos e atende 150 mil famílias, fornecendo leite para crianças na primeira idade. E por outro lado, estimula a bacia leiteira do estado gerando emprego e renda no meio rural, e ambém, o melhoramento genético na bovinocultura do Rio Grande do Norte. Pobre poder.

Manual de boas maneiras

A governadora Rosalba Ciarlini mostrou que não é muito afeita a civilidade pública. Hoje pela manhã, ao falar no cerimonial do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, se dirigiu a Wilma de Faria como ex-prefeita ao invés de ex-governadora, como de correto é o uso do cargo de maior expressão no trato com autoridades públicas.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Last Blues

Mario Bortolotto

Eu não espalho, mas ando triste pra caralho.

Legislativo quer JL no patrimônio histórico municipal

A Câmara Municipal de Natal aprovou a inclusão do Juvenal Lamartine como Patrimônio Histórico, Cultural, Arquitetônico e Esportivo de Natal. A matéria segue para sanção da prefeita Micarla, de quem esperamos bom senso.

O Projeto de Lei nº 129/2011 é uma proposição dos vereadores Franklin Capistrano (PSB) e George Câmara (PcdoB).

A decisão do Legislativo deve afastar o olho gordo da governadora Rosalba Ciarlini, que tenta a todo custo vender o velho estadinho por 30 dinheiros. Uma besteira sem fim. Diz ela, que quer a grana para fazer um hospital, quando todos sabemos que não dá uma contrapartida. E por falar em partida, quem será que pega a bola?

Abuso de poder ou despreparo judicial?

Extemporânea a ação do Ministério Público na Operação Sinal Fechado ao determinar o arrombamento de portas e invasão das residências sem que houvesse resistência das pessoas procuradas. Um pouco de civilidade não faz mal, nem tão pouco fere a autoridade judicial.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Na defesa do JL

Enfim uma luz para o Juvenal Lamartine. Na audiência pública da Assembléia Legislativa não foram poucas as vozes contra a aberração pretendida pela governadora Rosalba Ciarlini, que só pensa em demolir e vender o estádio.
A promotora Rossana Sudário mostrou lucidez no tocante a questão, e prometeu endurecer a parada. Menos mal.

O espírito de Will Eisner em Sampa


São Paulo recebe a exposição do norte-americano Will Eisner, um dos mais influentes artistas de quadrinhos do planeta. A exposição O Espírito Vivo de Will Eisner conta com 106 desenhos originais de sua coleção, uma estátua em bronze de seu personagem Spirit - que está sendo exposta pela primeira vez - e três histórias completas em que constam seus últimos desenhos.

A exposição que já passou pelo Rio de Janeiro é fruto da parceria entre a Curadoria de Artes Visuais e a Divisão de Bibliotecas para encerrar as comemorações dos 20 anos da Gibiteca Henfil do CCSP. Segue em Sampa até 18 de dezembro. Visitas de terça a sexta, das 10h às 20h; sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h, no Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000). Entrada franca. Se gostar de quadrinhos e for a Sampa dê uma passada por lá.

Macalé toca em dezembro


O show Revendo Amigos, com o cantor e compositor carioca Jards Macalé, dia 2 de dezembro no Bar do Zé Reieira, Rua Professor Zuza, Cidade Alta, marca a celebração do Dia Nacional do Samba em Natal. O espetáculo terá a apresentação especial do Nós do Beco, grupo musical que vem revitalizando a tradição do gênero na cidade, e do guitarrista e arranjador Joca Costa e da cantora Heliana Pinheiro.

Sempre às primeiras sextas de mês, o Nós Beco se apresenta no local interpretando pérolas genuínas do samba e do choro nas obras de autores como Pixinguinha, Noel Rosa, Cartola, Waldir Azevedo, Nelson Cavaquinho, entre outros, prestando tributo a esses mitos. O grupo vem cumprindo temporada de shows musicais no local deste o início do ano .

O concerto de Jards Macalé, que estará lançando Jards, seu novo disco, se insere no roteiro de homenagens à música brasileira que o Nós do Beco vem realizando no Centro Histórico. Principalmente pela ligação que o artista tem com o samba em sua carreira.



Jards Macalé

Jards Anet da Silva, nascido no Rio de Janeiro, é um dos grandes artistas brasileiros. Pouco conhecido do público, Jards é um grande violonista e compositor de talento. Ele nunca freqüentou as paradas de sucesso, mas sua grande obra tem lugar especial na história da MPB.

O apelido “Macalé”, surgiu, segundo ele próprio, da sua própria falta de habilidade nas peladas de futebol que jogava com os amigos ainda adolescente. Resolveram lhe chamar assim pois o um volante chamado “Macalé” era um piores jogadores do Botafogo naquele período.
O músico estudou violão clássico e orquestração. Ainda jovem foi convidado para acompanhar Nara Leão no histórico show Opinião e para dirigir os primeiros espetáculos de Maria Bethânia. Foi a Londres no final dos anos 60 para dirigir e tocar violão no antológico álbum Transas que Caetano Veloso gravou no exílio.

De volta ao Brasil, provocou grande polêmica ao apresentar no Festival da canção de 1969, desafiando a censura, ao apresentar a música Gothan City, uma metáfora sobre a cidade do Batman. Nos anos 70 Macalé participou dos melhores momentos de Gal Costa, os discos Legal e Fatal. Fez parceria com Moreira da Silva, criador do “samba de breque” e rei da malandragem carioca, e gravou o disco Macalé canta Moreira.

Com quase 50 anos de carreira, Macalé gravou apenas nove discos, todos elogiados pela crítica, com especial destaque para Contrastes (1977) no qual se revelou intérprete orginal intérpete de grandes mestres do samba como Ismael Silva.

O mais recente tributo ao talento de Macalé foi a regravação do clássico Vapor Barato (parceria com Wally Salomão) pelo grupo Rappa, que se tornou o único sucesso de sua carreira.

Numa época em que a quantidade é mais valorizada do que a qualidade, cresce a importância de um artista original como Jards Macalé por sua imensa contribuição à música e pelo ainda pequeno reconhecimento de sua obra.



Dia Nacional do Samba

Show Revendo Amigos

Com Jards Macalé e Nós do Beco

Participação especial: Joca Costa e Heliana Pinheiro

Data: 2 de dezembro

Horário: 20h

Local: Bar do Zé Reieira, Rua Professor Zuza, Cidade Alta

Mesas: R$ 60

Informações: 8837 5465/8815 8687

Email:m.ziza@uol.com.br e mblues66@hotmail.com

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Lanterna Acesa

I

A pá
A lavra

A plantação
A colheita

A palavra feita.

Modelo do caos

Na Rua Letícia Garcia, no bairro Pirangi, a prefeitura fez a terrapelanagem com material de aterro sanitário. A rua é de terra nua, embora conste na Semurb como sendo calçada. Para completar, a água servida de uma lavanderia industrial corre a céu aberto no meio da rua. Um nojo.
Ou será que esse é mais um novo modelo de prevenção sanitária de Natal?

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Jazz Schön no Zen bar

O jazz do trio Shön (teclado, contrabaixo e sax) no Zen Bar e Café é uma pedida para o sábado. O som começa às 21 horas.

O Zen Bar fica na Praia do Cotovelo (na margem da Rota do Sol, logo depois do Posto de Combustível do Pium).

Objetos cortantes dos Poetas Elétricos

Videoclip massa no
www.carito.art.br/

Limita bares e tranca rua

A Semurb ou sei lá da Prefeitura de Natal, não deixa mais o tradicional Bar de Nazaré (no Beco da Lama) botar as mesas e cadeiras na calçada de pouco movimento, mas permite que todos os sábados o Restaruante Camarões & Grill feche um trecho da Rua Gonçalves Ledo, em plena Cidade Alta, após às 13h, para fazer um pagode.

O pessoal do bar bota os cones e entope a rua de mesas e cadeiras e bitirtas na maior moral. A rua fica interditada e corta o fluxo de veículos daquela que é uma das principais vias de acesso nas imediaçõoes para os lados sul e oeste da cidade alta.

Estranho isso, né!

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O JL, as raposices e os amigos do Tirol

Se vão mesmo derrubar o velho estádio Juvenal Lamartine, que ao menos, o local seja ocupado com uma área de lazer para a comunidade. Um grande parque arborizado cairia bem para o bairro e a cidade. Defendo a criação do Parque Juvenal Lamartine.

Esse papo de que a venda do terreno será destinada a construção de um hospital de ortopedia é furado. É mais uma daquelas mentiras típicas dos políticos jogada para iludir a platéia. Todo cuidado é pouco com essa turma. O que leio na imprensa é que terreno do JL foi avaliado em 20 milhões e o hospital deverá custar mais de 70 milhões. Esses recursos podem vir de outra fonte, seguramente.

Também acho que está na hora dos Amigos do Tirol se posicionarem sobre a derrubada do velho estádio Juvenal Lamartine e a venda do terreno pelo governo do estado. Afinal, essa confraria deve existir para mais além das festinhas e confraternizações do bairro. Amigos são amigos para tudo.

Até agora só ouvi a voz sensata da educadora Eleika Bezerra, moradora e amiga verdadeira do bairro. A hora passa e o tempo urge. Está dito!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Mar de sargaços

Geraldo Carneiro

no seu maremoto de sargaços negros
na sua garganta minha caravela
começa de novo nos quintais vazios
a plantar canteiros no meio da noite
nos seus alagados e no fim de tudo
a cantar baladas de uma estranha lua
entre os peixes mortos onde algum corsário
a tramar batalhas no seu mar profundo
recolhendo gritos nas suas entranhas
vaga submerso a beber encolhos
de outros naufrágios de cristais marinhos.

no seu mar profundo no meio da noite
a beber encolhos de uma estranha lua
a tramar batalhas nas suas entranhas
onde algum corsário vaga submerso
a cantar baladas nos seus alagados
recolhendo gritos de outros naufrágios
na sua garganta de cristais marinhos
a plantar canteiros de sargaços negros
nos quintais vazios no seu maremoto
a no fim de tudo entre os peixes mortos
começa de novo minha caravela.

* In Verão Vagabundo

Boneco Cidadão baixou no Pirangi


O Boneco Cidadão apareceu no final de semana no conjunto Purangi. O boneco fez um movimento danado na Rua Letícia Garcia, onde existe o esgoto a céu aberto proveniente de uma lavanderia de roupas e algumas residências familiares.

A rua de terra é cheia de buracos, e a água servida que corre livremente polui o meio ambiente e exala mau cheiro. A prefeitura, segundo os moradores, tem conhecimento do problema, mas não adota as providências. Existe suspeita de algum arrumadinho.

Depois de ter passado uma temporada detido pela Prefeitura de Natal, o Boneco Cidadão está com a corda toda. No Piragi, ele estava companhado de uma boneca - dizem ser sua namorada - e um carro de som. Arrocha bonecão!

Boxe sem Frazier


O mundo do boxe perde Joe "Smokin" Frazier, o ex-pugilista campeão mundial dos pesos pesados e membro do Salão da Fama do Boxe. Tinha no currículo a façanha de derrubar a invencibilidade do lendário Muhammad Ali, em 1971. Aos 67 anos de idade, e faleceu ontem em consequência de um câncer no fígado, descoberto há pouco mais de um mês.

"Smokin" Joe, apesar de ser um pugilista baixo para os pesos pesados, compensou a falta de estatura com uma ferocidade que impressionava seus rivais. Além disso, Frazier possuía um devastador gancho de esquerda que utilizava para terminar a maioria das lutas que ganhou nos primeiros assaltos. Foi exatamente o temível gancho de esquerda que levou Ali à lona no 15º assalto da luta que ambos disputaram no lendário Madison Square Garden, em Nova York, em 1971. A queda de Ali deu a Frazier uma histórica vitória no "Combate do Século".

Embora Frazier tenha vencido o primeiro encontro, Ali venceu os outros dois desafios contra o rival. Aliás, a presença de Ali fez com que a figura de Frazier sempre ficasse em um segundo plano, algo que nunca agradou o ex-campeão mundial.
"Smokin" Joe, como era conhecido Frazier, ganhou o título de campeão do mundo dos pesos pesados em 1970 ao vencer por nocaute Jimmy Ellis no quinto assalto. Ele defendeu quatro vezes com sucesso o título até que foi finalmente vencido por George Foreman em 1973. Uma lenda.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Cinema e Direitos Humanos na América do Sul em Natal


Natal recebe a 6ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, uma iniciativa anual de celebração do aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos por meio da linguagem cinematográfica. A programação começou ontem e vai até o dia 9, no IFRN Cidade Alta. As sessões são gratuitas.

A mostra é uma iniciativa da A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com patrocínio da Petrobrás, produção da Cinemateca Brasileira e apoio do Ministério das Relações Exteriores, SESC/SP e TV Brasil.

Programação

04/11 - SEXTA-FEIRA
14h00
TEMPO DE CRIANÇA - Wagner Novais (Brasil, 12 min, 2010, fic).
ARQUITETOS DA NATUREZA - Cléa Lúcia (Peru/ Brasil, 25min, 2011, doc).
TAVA - PARAGUAI TERRA ADENTRO - Lucas Keese/ Lucía Martin/ Mariela Vilchez (Argentina/ Brasil/ Paraguai, 70 min, 2011, doc).
Classificação indicativa: 10 anos
16h00
BALA PERDIDA - Maurício Durán Blacut (Bolívia, 52 min, 2010, doc).
NO FUTURO - Mauro Andrizzi (Argentina, 60min, 2010, fic).
Classificação indicativa: 10 anos
18h00
ORQUESTRA DO SOM CEGO - Lucas Gervilla (Brasil, 13 min, 2010, doc).
POLIAMOR - José Agripino (Brasil, 15 min, 2010, doc).
CAMPONESES DO ARAGUAIA - GUERRILHA VISTA POR DENTRO - Vandré Fernandes (Brasil, 73 min, 2010, doc).
Classificação indicativa: 10 anos
20h00
ARAGUAYA - A CONSPIRAÇÃO DO SILÊNCIO - Ronaldo Duque (Brasil, 105 min, 2005, fic).
Classificação indicativa: 12 anos

05/11 - SÁBADO
14h00
DOCE DE COCO - Allan Deberton (Brasil, 20 min, 2010, fic).
CORTINA DE FUMAÇA - Rodrigo Mac Niven (Brasil, 88 min, 2010, doc).
Classificação indicativa: 12 anos
16h00
CABRA CEGA - Toni Venturi (Brasil, 107 min, 2005, fic).
Classificação indicativa: 14 anos
18h00
BICHO DE SETE CABEÇAS - Laís Bodanzky (Brasil, 74 min, 2000, fic).
Classificação indicativa: 14 anos
20h00
CENTRAL DO BRASIL - Walter Salles (Brasil, 112 min, 1998, fic).
Classificação indicativa: 16 anos

06/11 - DOMINGO
14h00
SOBRA UMA LEI - Daiana Di Candia/ Denisse Legrand (Uruguai, 36 min, 2011, doc).
PEQUENAS VOZES - Óscar Andrade e Jairo Eduardo Carrillo (Colômbia, 76 min, 2010, doc).
Classificação indicativa: 10 anos
16h00
CHUVAS DE VERÃO - Carlos Diegues (Brasil, 93 min, 1977, fic).
Classificação indicativa: 16 anos
18h00
MORANGO E CHOCOLATE - Tomás Gutiérrez Alea/ Juan Carlos Tabío (Cuba/ México, 110 min, 1993, fic).
Classificação indicativa: 14 anos
20h00
A TERRA A GASTAR - Cássia Mary Itamoto/ Celina Kurihara (Brasil, 6 min, 2009, animação).
OS INQUILINOS (OS INCOMODADOS QUE SE MUDEM) - Sérgio Bianchi (Brasil, 103 min, 2010, fic).
Classificação indicativa: 14 anos

07/11 - SEGUNDA-FEIRA

14h00 - Sessão Audiodescrição
DIÁRIO DE UMA BUSCA - Flávia Castro (Brasil/ França, 105 min, 2010, doc).
Classificação indicativa: 10 anos
16h00
CAFÉ AURORA - Pablo Polo (Brasil, 19 min, 2010, fic).
CONFISSÕES - Gualberto Ferrari (Argentina/ Brasil/ França, 90 min, 2011, doc).
Classificação indicativa: Livre
18h00
A GRANDE VIAGEM - Caroline Fioratti (Brasil, 15 min, 2011, fic).
AVÓS - Carla Valencia Dávila (Equador/ Chile, 93 min, 2010, doc).
Classificação indicativa: Livre
20h00
DAMA DO PEIXOTO - Allan Ribeiro/ Douglas Soares (Brasil, 11 min, 2011, doc).
QUEM SE IMPORTA - Mara Mourão (Brasil, 96 min, 2011, doc).
Classificação indicativa: 10 anos

08/11 - TERÇA-FEIRA
14h00 - Sessão de Audiodescrição
DOCE DE COCO - Allan Deberton (Brasil, 20 min, 2010, fic).
TEMPO DE CRIANÇA - Wagner Novais (Brasil, 12 min, 2010, fic).
MÁSCARA NEGRA - Rene Brasil (Brasil, 15 min, 2010, fic).
A GRANDE VIAGEM - Caroline Fioratti (Brasil, 15 min, 2011, fic).
GAROTO BARBA - Christopher Faust (Brasil, 14 min, 2010, fic).
O PLANTADOR DE QUIABOS - Coletivo Santa Madeira (Brasil, 15 min, 2010, fic).
Classificação indicativa: 14 anos
16h00
ACERCADACANA - Felipe Peres Calheiros (Brasil, 20 min, 2010, doc).
A OCUPAÇÃO - Angus Gibson/ Miguel Salazar (Colômbia/ EUA/ França, 88 min, 2011, doc).
Classificação indicativa: 12 anos
18h00
GAROTO BARBA - Christopher Faust (Brasil, 14 min, 2010, fic).
ASSUNTO DE FAMÍLIA - Caru Alves de Souza (Brasil, 13 min, 2011, fic).
COPA VIDIGAL - Luciano Vidigal (Brasil, 75 min, 2010, doc).
Classificação indicativa: 12 anos
20h00
D.O.R - Leandro Goddinho (Brasil, 4 min, 2010, doc).
SILÊNCIO 63 - Fábio Nascimento (Brasil , 23 min, 2011, doc).
E A TERRA SE FEZ VERBO - Erika Bauer (Brasil, 77 min, 2011, doc).
Classificação indicativa: 12 anos

09/11 - QUARTA-FEIRA
14h00
BARRAS E BARREIRAS, RETRATO DE KELLY ALVES - Riccardo Migliore (Brasil, 38 min, 2011, doc).
QUATRO LITROS POR TONEL - Belimar Román Rojas (Argentina/ Venezuela, 70 min, 2010, doc).
Classificação indicativa: 12 anos
16h00
DO OUTRO LADO DO MURO - Eleonora Menutti (Argentina, 12 min, 2010, doc).
ENTRE VÃOS - Luísa Caetano (Brasil, 20 min, 2010, doc).
VOCACIONAL, UMA AVENTURA HUMANA - Toni Venturi (Brasil, 77 min, 2011, doc).
Classificação indicativa: Livre
18h00
O PLANTADOR DE QUIABOS - Coletivo Santa Madeira (Brasil, 15 min, 2010, fic).
MÁSCARA NEGRA - Rene Brasil (Brasil, 15 min, 2010, fic).
UMA NOVA DANÇA - Nicolás Lasnibat (Chile/ França, 23 min, 2010, fic).
Classificação indicativa: 14 anos
20h00
GRAFFITI QUE MEXE - Coletivo Graffiti com Pipoca (Brasil, 13 min, 2011, animação).
LICURI SURF - Guilherme Martins (Brasil, 15 min, 2011, doc).
CÉU SEM ETERNIDADE - Eliane Caffé (Brasil, 70 min, 2011, doc).
Classificação indicativa: 10 anos

Vai andar de quê?

Afinal vamos ter o VLT (Veiculo Leve sobre Trilhos) ou BRT (Sistema de Transporte Rápido por Ônibus) em Natal? Ou vamos ter os dois?
Primeiro só se falava no VLT, depois veio o lobby dos empresários dos transportes coletivos e a conversa foi mudando.
Há certo escamoteamento do poder público nessa situação. Tudo vem sendo ventilado, mas nada foi confirmado. Está faltando transparência nisso.

Pau D'arcos e flores

Como é linda a floração dos Ipês na avenida do campus universitário federal.
A paisagem bordada com as flores amarelas na encosta do morro deixa a cidade mais bela.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Natal sem Carne

E a Prefeitura de Natal, hein?

Agora está uma propaganda no rádio – eu ouvi – convocando a população a deixar de comer carne. A propaganda diz que o gado é o maior emissor de CO² e responsável pelos estragos na camada de ozônio. Diz mais que a carne faz mal, etc e tal.

Será que a prefeita Micarla e sua prole deixaram de comer filé?
Será que a prefeita quer mesmo ver o povo natalense desnutrido?
Será que a prefeitura quer ver os açougues fechando?
Será que a preeitura ignora a arrecadação de impostos do setor?
Será que a prefeita sonha em acabar com a pecuária no Estado?

É muita bobeira junta!

Dura Lex, Sed Lex


Todo cuidado é pouco. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o ato de dirigir com concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a seis decigramas é crime, com possível detenção, mesmo que o autor não cause danos ou provoque risco a outras pessoas. A decisão é da 2ª Turma do Supremo que, no dia 27 de setembro deste ano, negou o habeas corpus de um motorista de Minas Gerais flagrado em uma blitz na cidade de Araxá. O texto tem como base a lei que tornou crime, em 2008, javascript:void(0)dirigir alcoolizado.

No terceiro parágrafo da decisão é relatado que: "basta que se comprove que o acusado conduzia veículo automotor, na via pública, apresentando concentração de álcool no sangue igual ou superior a 6 decigramas por litro para que esteja caracterizado o perigo ao bem jurídico tutelado e, portanto, configurado o crime".

O relator do habeas corpus, ministro Ricardo Lewandowski, afirmou ser irrelevante indagar se o comportamento do motorista embriagado atingiu ou não algum bem juridicamente tutelado porque se trata de um crime de perigo abstrato, no qual não importa o resultado.

Leia mais: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/stf-decide-que-dirigir-bebado-e-crime/n1597351753391.html

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Blues no Beco da Lama


Hoje tem Blues no Beco da Lama com o show do guitarrista Gustavo Concetino $ Blue Moutain. Tem ainda de aperitivo, a banda Boka Livre, de São Paulo do Potengi – revelação do MPBeco.

O som rola a partir das 20 hora, na calçada do Bar do Nazi (hoje sob comando de Chico e Neide). A produção é o incansável Marcelo Veni, o cara que faz a música acontecer no Beco da Lama. De graça. Boa pedida!

De verão, Cajueiro e Pirangi

De novo vem o verão. E de novo vem a chatice e a lengalenga nos jornais sobre a poda do cajueiro de Pirangi do Norte, cujos galhos invadem deliberadamente as estradas atrapalhando o trânsito. De novo, vou metendo meu bedelho no assunto.

Fato. O Cajueiro de Pirangi do Norte teve seu espaço delimitado por uma cerca. Desde então, foram fincados seus limites. O seu espaço delimitado de crescimento. O que extrapola a cerca invadindo as duas avenidas e uma rua tranversal, pode e deve ser podado de forma técnica e racional. Simples assim.

Qualquer principiante do Direito em sã consciência sabe que os limites determinam o espaço da posse. O caso do cajueiro não passa de mais um daqueles imbróglios jurídicos desnecessários. E acredito que a Vara da Fazenda Pública vai usar o bom senso em sua decisão.

Particularmente, não vejo porque esse alarde dos comerciantes e ecologistas de vitrine para impedir a poda, e assim, permitir a invasão desordenada dos galhos do cajueiro na via pública, transformando o verão num verdadeiro inferno naquele trecho do litoral sul.

Se os comerciantes e os ecologistas de vitrine queriam que o cajueiro crescesse aleatoriamente não deveriam ter cercado a velha árvore anos atrás. Aliás, onde estavam eles naquela época? No mais, os comerciantes bem que poderiam reduzir suas glebas para que o cajueiro cresça um pouquinho mais ao sul. Seria um ato sensato e nobre.

Ademais não será com a poda que os turistas deixarão de visitar o cajueiro. Nem mesmo se ele deixar de ser o maior cajueiro do mundo. Nem assim, perderá sua imponência e o interesse popular.

Aquele velho cajueiro não passa de uma imagem pregada na memória da minha infância. Quando então era uma árvore livre que dividia o espaço com outros pés de cajueiros, mangabas, araçás, maria-preta, ameixa do mato e outras frutinhas selvagens que brotavam no sopé do morro que ia dar no rio Pirangi.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Valéria Oliveira e amigos botam a música no ar


A cantora Valéria Oliveira canta recebe amigos nesta quinta-feira (01), no Teatro Riachuelo. Na mais nova edição do projeto Música No Ar, Valéria recebe as cantoras Leila Pinheiro, Daúde, Liz Rosa e Antônio de Pádua. O show começa às 20h30, com ingressos a 30 reais

A abertura no foyer do teatro ficará por conta do multi-instrumentista Antônio de Pádua que faz o pocket-show Choro em Família, em companhia da esposa, Roberta Karin - percussão, e os filhos Matheus Jardim - percussão, e João Vitor - flauta transversal. Um show que traduz o universo musical do choro no núcleo familiar.

Valéria Oliveira sobe ao palco acompanhada por Jubileu Filho (guitarra, violão de aço e vocal), Paulo de Oliveira (baixo) e Rogério Pitomba (bateria). Um trio
musical de primeira linha.

O roteiro e direção artística é de Claudio Olivotto, que também assina a concepção do cenário. Cenário que foi é baseado nas obras do artista plástico Ítalo Trindade. A idéia do projeto é promover a música autoral do RN, por meio de encontros entre artistas locais e artistas de renome nacional. Toca pra diante!

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

A propósito de estrelas

Adília Lopes

Não sei se me interessei pelo rapaz
por ele se interessar por estrelas
se me interessei por estrelas por me interessar
pelo rapaz hoje quando penso no rapaz
penso em estrelas e quando penso em estrelas
penso no rapaz como me parece
que me vou ocupar com as estrelas
até ao fim dos meus dias parece-me que
não vou deixar de me interessar pelo rapaz
até ao fim dos meus dias
nunca saberei se me interesso por estrelas
se me interesso por um rapaz que se interessa
por estrelas já não me lembro
se vi primeiro as estrelas
se vi primeiro o rapaz
se quando vi o rapaz vi as estrelas.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

As demos da rainha


Brian May, guitarrista do Queen, encontrou demos perdidas com o vocalista Freddie Mercury. O material com faixas inéditas deve render um novo disco. Brian May e o baterista Roger Taylor são únicos integrantes da banda ainda vivos. Atualmente a dupla trabalha uma nova versão do musical We Will Rock You, em cartaz há quase uma década em Londres, escrito pelo comediante Ben Elton.

O último álbum lançado com Mercury foi Innuendo, em 1991. O vocalista morreu no mesmo ano, vítima de hiv. Lendária, a Queen foi umas das bandas de maior expressão do rock mundial nos anos 70/80.

Talma e Gadelha na Feira de Santana

(foto: Camila Catunda)

Talma e Gadelha tocam na abertura do Feira Noise Festival, que na próxima sexta-feira (29), na casa de eventos San Domingo, a partir das 20 horas, na cidade de Feira de Santana. A dupla potiguar está na estrada com a banda divulgando novo cd Matando o Amor.

Na mesma noite tem as bandas Madame Saatan, do Pará; Calafrio e Efeito Zumbi, ambas de Feira de Santana, e a Versu2, de Salvador. A noite de abertura ainda terá no palco o rapper, MC Rashid (SP), que lançou no ano passado o EP Hora de Acordar; o cara é da tribo dos hip-hop brasileiros, Emicida, Criolo Doido, Kamau,DJ King e Thaíde, entre outros.

A paraense Madame Saatan estará em Natal, no dia 6 de novembro. Faz show no Festival Dosol, no Centro Cultural do Sol. O quarteto faz um heavy-metal decente, tendo no vocal, a cantora Sammliz. Recentemente lançou o cd Peixe Homem, masterizado nos EUA pelo competentente engenheiro de áudio, Alan Douches (que já trabalhou com o Aerosmith, Mastodon, e Misfits, entre outros) e produzido por Paulo Anhaia (Charles Brown Jr. e Velhas Virgens). Gosto da interpretação de Rock'n'Roll do Led Zeppelin.

O evento é organizado pelo Feira Coletivo Cultural e se estenderá durante todo o mês de novembro. Tà vendo, nem só de axé vive a Bahia!

Leia mais no www.blogdafeira.com.br

Rádio esportivo perde Luiz Mendes


Minha gente. O comentarista esportivo Luiz Mendes morreu na manhã desta quinta-feira (27), aos 87 anos, após complicações decorrentes de uma leucemia linfocítica crônica, como informou a assessoria do Hospital São Lucas, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, onde estava internado desde o dia 18 de outubro, no Centro de Tratamento Intensivo (CTI).

O radialista narrou fatos marcantes da história do futebol brasileiro, como a final da Copa de 1950, no Rio, quando o Brasil perdeu a final para o Uruguai, no episódio que ficou conhecido por "Maracanazo", e a Copa do Mundo de 1958, a primeira das cinco conquistadas pela seleção brasileira, na Suécia. De lá para cá participou de todas as Copas de Futebol. O site da Rádio Globo ressaltou ainda que, em mais de 70 anos de profissão, Luiz Mendes foi o único brasileiro a narrar a final de Copa do Mundo de 1954, na Suíça. Era uma enciclopédia do futebol brasileiro. O comentário lúcido. Uma voz marcante. Uma figura humana que vai deixar saudades. Perde muito o rádio brasileiro.

Luiz Mendes foi um daqueles que trabalhou até o fim. Ultimamente na Rádio Globo AM ouvia seus comentários nos programas: Panorama Esportivo, levado ao ar todas as noites, e Enquanto a Bola não Rola, nos domingos das 12h às 15h, um aperitivo para o futebol, junto com outros bambas. Nos últimos dias, vinha sentindo sua falta no Panorama. Era, talvez, o mais antigo radialista brasileiro em atividade.

Minha Gente - era o seu bordão.

Leia mais aqui: g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/10/morre-no-rio-o-comentarista-esportivo-luiz-mendes.html

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Ponte Metálica de Igapó

Alcool e Amy Winehouse


O inquérito da polícia de Londres concluiu que a cantora britânica Amy Winehouse, de 27 anos, morreu por excesso de álcool no organismo. O relatório final determinou "morte acidental". De acordo com a BBC, a cantora estava passando por um período de três semanas de abstinência. Após sua morte, foram encontradas três garrafas de vodca em sua casa. Amy Winehouse foi encontrada morta no dia 23 de julho, em sua residência.

Otan pode ser processada por crime de guerra

A família do ex-ditador líbio, Muammar Kadhafi, estuda processar a Otan no Tribunal Penal Internacional (TPI), por “crime de guerra”. A informação foi repassada pelo advogado francês Marcel Ceccaldi à agência internacional France Presse.

Para o advogado, o ex-ditador foi morto decorrente dos disparos da Otan contra o comboio de Muammar Kadhafi, e depois capturado e executado pela tropa do CNT, com apoio da Organização do Atlântico Norte. “O homicídio voluntário está definido como um crime de guerra pelo artigo 8 do estatuto de Roma do TPI", completou. Faz sentido!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Onde anda você?

Alquém sabe que fim levou a Funcarte?
Nada se ouve falar. Nenhuma novidade sai de lá.
Será que morreu e falta enterrar?

Matando na unha

O WikiLeaks anunciou que vai suspender as atividades até o final do ano. O sítio se notabilizou pela publicação de denúncias e informações sigilosas dos grandes países e corporações econômicas.
O WikiLeaks está morrendo de inanição devido ao complô armado pelos financistas ocidentais, que praticamente bloquearam o repasse de recursos, segundo seu fundador Julian Assange. O Sistema Capitalista joga pesado na defesa dos seus interesses. Nâo é brinquedo, meu caro Julian.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Como latas de cerveja vazias e pontas de cigarros

Ernesto Cardenal

Como latas de cerveja vazias e pontas de cigarros
apagados, têm sido os meus dias.
Como figuras que passam na tela da televisão
e desaparecem, assim tem sido a minha vida.
Como os carros que passam rápido nas estradas
com o riso das meninas e a música do rádio...

E a beleza passou rapidamente, como o modelo de carros
e canções dos rádios que saíram de moda.
E não há nada daqueles dias, nada
mais que latas vazias e pontas de cigarro jogadas fora,
risos em fotos desbotadas, tickets extraviados,
e a serragem que varreu os bares na madrugada.

Levanta Poesia!

Hoje o poeta elétrico Carito faz um Stand-up de Poesia. Vai ser às 22 horas no Circo da Luz, armado no Campus da UFRN.
O relâmpago poético se insere na programação do ENEART, um encontro que reúne estudantes de arte de todo o Brasil.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Arena das Dunas terá cobertura reduzida


Pouco se fala na tribo, mas o estádio Arena das Dunas terá a cobertura das arquibancadas reduzida em relação ao projeto original (foto). A medida foi tomada pelo Governo do Estado para reduzir os custos de construção, e assim, adequar o orçamento da obra.

No novo projeto - o estádio que terá 42 mil lugares - perde duas fatias da cobertura nas arquibancadas atrás dos gols. Com isso, 24% do público (10 mil pessoas) ficará instalado a céu aberto, sem proteção contra sol ou chuva.

O custo total do estádio é de R$ 465,24 milhões. O BNDES está financiando R$ 365 milhões para construção do estádio, que representa 75% do valor total. O estado entra com os 25% restante, algo equivalente a R$ 91,25 milhões. A obra já começou e deve ficar pronta em 2013.

Fonte: www.portal2014.org.br

Anúncio

Carito

bando meio desligado
assalta corações
a fio.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

A morte anunciada de Kaddafi


Fim de uma era na Afríca Subsaariana. Muamar Kaddafi morreu lutando, como ele próprio anunciou. Foi pego em combate, e abatido pela milícia do Conselho Nacional de Transição, o novo governo instalado pelo Ocidente, com apoio da OTAN. A internet mostra as imagens da barbárie.

O controverso ditador da Líbia - que não era um santo - deve virar mártir entre as tribos leais. Lembrando que a Líbia é um país tribal, e esse conflito não deve acabar com as tribos ainda divididas.

Aliás, esse novo governo da Líbia também não parece ser filé. Mal assumiu o poder e a Anistia Internacional já anda denunciando a promoção de torturas nas prisões controladas pelos rebeldes.

Enquanto isso, no Bahrein a população é sufocada pelo governo, com suporte da Arábia Saudita e o silêncio do Ocidente. Na Síria, o governo ataca e mata quem protesta, enquanto o Ocidente trata o caso em banho-maria. São países aliados. No Oriente, pelo visto, impera a lei dos dois pesos e duas medidas para as velhas ditaduras. Mateus, primeiro os meus.